Saúde

Barreiras sanitárias identificam dezoito casos suspeitos de Covid-19

Mais de 11 mil pessoas foram abordadas pelas equipes, que estão presentes nas quatro saídas de Campo Grande.

Durante o fim de semana, 11,8 mil pessoas foram abordadas nas barreiras sanitárias instaladas nas quatro saídas de Campo Grande. Deste total, a triagem identificou 18 pessoas com sintomas característicos para Covid-19, sendo todas orientadas a buscarem uma unidade de saúde.

As barreiras sanitárias entraram em operação na quinta-feira (11) e fazem parte da série de medidas para evitar a propagação da Covid-19. Ao todo, já foram 12.277 veículos abordados e 24.372 pessoas orientadas.

As abordagens estão sendo feitas nas saídas para Cuiabá, Sidrolândia, São Paulo e Três Lagoas, por terem maior fluxo de veículos vindo dos municípios do interior e de fora do Estado.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), cerca de 200 profissionais estão trabalhando nos locais. Quem passar pela barreira receberá orientações, terá temperatura aferida, além do veículo desinfetado.

Testes de detecção da Covid-19 também estão sendo realizados, mas a Sesau informou que objetivo maior do trabalho é fazer a orientação e controle de quem entra no município.

Quem é abordado preenche um formulário onde é relatado se houve ou não persistência de sintomas, como dor de cabeça, tosse e coriza e informa se teve contato com caso positivo ou esteve recentemente em outros estados ou municípios.

Todos são orientados a observarem os sintomas e procurarem imediatamente um serviço de saúde caso haja alguma alteração, considerando que o diagnóstico do teste não é conclusivo.

Os pontos voltaram como medida de prevenção para conter o avanço do coronavírus, na Capital e Estado. A principal preocupação das autoridades é em relação a ocupação de leitos, que vem batendo recorde de internações todos os dias no Estado.

Ainda no primeiro dia de reativação, leitor que passou pela barreira localizada na Av. Gury Marques, saída para São Paulo flagrou a unidade sem agentes no primeiro dia de funcionamento. Durante a tarde, os serviços prometidos pela prefeitura não estavam ocorrendo.

As barreiras foram ativadas pela primeira vez no dia 26 de maio de 2020, e voltam a funcionar 8 meses depois da desativação, que ocorreu no dia 6 de julho do ano passado.

O trabalho conta com o apoio da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), Guarda Civil Metropolitana (GCM), Polícia Rodoviária Federal, Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Polícia Militar e todas as secretarias municipais.

Fonte: correiodoestado.com.br

Hits: 14

Redação Ms de Fato

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário


”Play”

Enviar Mensagem
Posso ajudar?
Olá
Tudo Bem?