Notícias

 Extra!

É menino ou menina? Saiba como funciona a sexagem fetal

É menino ou menina? Saiba como funciona a sexagem fetal
dezembro 27
10:08 2018

Após ter a notícia de que estão esperando um bebê, a maioria dos pais logo quer saber se será menino ou menina! E, graças à sexagem fetal, isso é possível a partir da oitava semana de gestação. Graziela Paronetto Machado, médica geneticista da clínica FertilCare, de Brasília, explica que a sexagem fetal é a determinação do sexo do feto ainda no período intrauterino, por meio de exames realizados em material coletado da gestante, seja urina ou sangue periférico.

Como o exame está diretamente relacionado às expectativas dos pais, é comum que surjam dúvidas, por exemplo, a respeito da eficácia do exame. Mas a boa notícia é que o exame é bastante eficaz e seguro.

Como funciona a sexagem fetal

Existem dois tipos de exame de sexagem fetal, por sangue e por urina. Graziela destaca que o exame de sexagem realizado pela análise da urina da mãe não é um teste genético, mas, sim, um teste caseiro, encontrado à venda em farmácias. Já a coleta de material para a sexagem fetal por sangue materno é um exame laboratorial e que exige pedido médico. Confira abaixo como eles funcionam.

Urina

Paula Brito, médica ginecologista da clínica FertilCare, de Brasília, explica que o teste urinário é feito da mesma forma que um teste de gravidez adquirido em farmácias. “Deve ser coletada a primeira urina do dia em recipiente próprio. A leitura do resultado ocorre após 10 minutos. Se a urina ficar verde, indica que o bebê é do sexo masculino e se ficar laranja, do sexo feminino”.

Graziela ressalta que, neste tipo de exame, produtos químicos reagem com hormônios presentes na urina materna, fazendo com que a cor mude de acordo com o sexo do bebê. “É importante que a gestante não tenha tido relações sexuais nas 48h que precedem a coleta e não tenha feito uso de medicações hormonais como a progesterona. No Brasil, este teste é comercializado com o nome de IntelliGender”, acrescenta.

Paula explica que, durante a gestação, existe a passagem de uma pequena quantidade de células do feto para o sangue materno, através da placenta. “Assim, é possível, por meio apenas da coleta de uma amostra de no máximo 20 ml de sangue da mãe, detectar a presença ou ausência do cromossomo Y fetal. Se presente, trata-se de um feto do sexo masculino. Se ausente, é um feto do sexo feminino”, diz.

Graziela acrescenta que “como se trata de um exame laboratorial é importante o pedido médico. O uso de medicações hormonais ou de outra natureza, assim como o fato da gestante ter tido relações sexuais ou ter se alimentado previamente à coleta não influenciam no resultado do exame. O resultado será liberado em torno de 2 a 5 dias úteis”, destaca.

Perguntas frequentes

Como a sexagem fetal é um tipo de exame que envolve as expectativas sobre se ter um menino ou uma menina, é comum que os futuros pais tenham várias dúvidas a respeito. Esclareça as principais delas abaixo:

1. Com quantas semanas de gestação é possível fazer a sexagem fetal?

“No caso da sexagem fetal por urina materna, o exame pode ser realizado a partir de 10 semanas de gestação. No caso da sexagem por sangue materno, o exame pode ser realizado a partir da 8ª semana de gestação”, responde Graziela.

2. Qual a chance de dar certo ou errado?

Cada método tem uma porcentagem diferente de confiabilidade. “A sexagem realizada pela urina apresenta um índice de acerto de aproximadamente 82%. Erros podem ocorrer devido à data gestacional inadequada na data da coleta, uso de medicamentos pela mãe, coleta inadequada do material, erro na interpretação do exame pela paciente e tempo de abstinência sexual inferior a 48 horas”, explica Graziela.

3. Como funciona se a gravidez for de gêmeos?

“No caso de gêmeos, se forem idênticos, univitelinos, o resultado é válido para os dois fetos. Em gêmeos fraternos, bivitelinos, o resultado ‘Y’, significa que ao menos um dos gêmeos será menino. Se o resultado der ausência de cromossomo ‘Y’ pode-se dizer que ambas são meninas”, responde Paula.

Graziela reforça que nenhum dos dois testes de sexagem consegue particularizar o sexo dos dois bebês. “No caso da sexagem pela urina, se o material apresentar a cor para o sexo masculino, a gestante deve interpretar que pelo menos um dos fetos é menino, mas não será possível saber com precisão o sexo do outro feto. Se a cor apresentada pelo material for a do sexo feminino, o mais provável é que os dois bebês sejam meninas”, acrescenta.

“O mesmo ocorre na sexagem fetal pelo sangue materno, se for detectada a presença do cromossomo sexual masculino Y, pelo menos um feto será um menino, não sendo possível dizer com precisão o sexo do segundo bebê. Na ausência do cromossomo Y os dois fetos terão o sexo feminino”, ressalta Graziela.

4. Onde o exame é feito?

“A sexagem fetal pelo sangue materno é realizado em laboratórios de análises clínicas. Já o teste urinário de sexagem fetal é encontrado em farmácias ou lojas online, como MercadoLivre, Amazon ou eBay”, responde Paula.

5. Qual é o valor aproximado? O plano de saúde cobre?

Paula explica que o valor do teste sanguíneo de sexagem fetal varia de acordo com a região do país, com preço médio entre R$ 150 a R$ 800. “O teste de sexagem fetal urinário é importado e pode ser encontrado entre R$ 100 e R$ 150”, diz.

Graziela ressalta que, como se trata de um exame, na grande maioria das vezes realizado apenas pela curiosidade dos pais, sem fins terapêuticos, a sexagem fetal não tem cobertura pelos planos complementares de saúde.

6. É possível realizar a sexagem pelo SUS?

Pelo mesmo motivo da não cobertura pelos planos de saúde, o exame de sexagem também não está disponível para realização pelo SUS, esclarece Graziela.

7. Há riscos para o bebê? E para a mãe?

“A coleta de urina e a coleta de sangue em veia periférica da mãe são consideradas procedimentos não invasivos para o feto, não trazendo nenhum tipo de risco para o bebê. Para a mãe também não há riscos importantes, salvo o risco de incômodo pela coleta de sangue, com pequenas complicações como hematomas”, destaca Graziela.

8. Há diferença na eficácia entre a sexagem fetal por sangue ou urina?

“No exame de urina, é realizado um teste qualitativo (cor verde ou laranja) pela reação de um reagente específico com substâncias hormonais presentes na urina materna. Este teste pode sofrer influências maternas, tanto relacionadas ao uso de medicações, quanto pela própria forma da coleta, já que se trata de um exame caseiro. Essas características diminuem a efetividade deste exame se comparado ao teste de sexagem por sangue materno”, explica Graziela.

Agora você já sabe que a sexagem fetal é ótima solução para os pais que estão curiosos para saber o sexo do bebê, e pode ser realizada a partir da oitava semana de gravidez, de forma segura e confiável.

Compartilhar

Sobre o Autor

MS DE FATO

MS DE FATO

Artigos Relacionados

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Não há comentários no momento, você quer adicionar um novo?

Escrever um Comentário

usuários registrados podem comentar.

Anunciantes

Calendário

agosto 2019
D S T Q Q S S
« jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031