Cidades

Condições climáticas desfavoráveis levam Prefeitura a publicar “Situação de Emergência” em Sidrolândia

Divulgação

A prefeita Vanda Camilo, assinou na manhã desta segunda-feira (26/07), o Decreto nº 177/2021, que declara situação de emergência no município de Sidrolândia, em função dos prejuízos causados pela estiagem, motivada pelo tempo seco e a pouca chuva registrada. Decisão foi tomada seguindo o Laudo Circunstanciado emitido pelo Sindicato Rural do município.

De acordo com o documento, considerando que a falta de chuvas regulares, com incidência pluviométrica abaixo de 30 milímetros por mês, ocorrida nas áreas urbana e rural de todos os Municípios de Mato Grosso do Sul, entre os meses de março a junho do corrente ano, afetou o abastecimento de água destinado ao consumo humano e à dessedentação de animais nas comunidades do interior do Estado, bem como as culturas agrícolas.

O baixo volume de chuvas no ano agrícola 2020/2021, prejudicou o reabastecimento do lençol freático, causando perda expressiva de lavouras, causando mortalidade nos rebanhos bovino, caprino, ovino, equino e aves na zona rural.

Em virtude da estiagem as pastagens destinadas a alimentação animal secaram, resultando na redução da produção de leite e carne, ocasionando prejuízos aos agricultores, e consequentemente a economia do município, que tem na atividade agropecuária uma de suas bases mais importantes.

Tais eventos acometeram as lavouras causando danos irreversíveis que irão derrubar as médias previstas entre 50% e 70% da média esperada, sendo que em alguns casos os danos irão praticamente inviabilizar a colheita, trazendo as produtividades próximo de zero.

Em decorrência dos danos causados ao setor produtivo da agricultura, pecuária e pesca, deixaram de ser gerados empregos e renda para a população em virtude dos efeitos da seca no município, o que torna impossível alcançar as expectativas de produção, gerando grandes prejuízos.

Apesar de todos os esforços despendidos pela Administração Municipal, visando atender a todas essas demandas formuladas pela produção, os recursos financeiros de que dispõe são insuficientes para normalizar a situação enfrentada.

Segundo o presidente do Sindicato Rural, Paulo Stefanello, o decreto é muito importante, porque é uma forma de oficializar que realmente existiu a perda, e os produtores poderão acionar o seguro.

“Tem produtores que tem 100% da lavoura perdida, então com esse decreto irá auxiliar o produtor rural a acionar seguro caso tenha, e os demais produtores que tem financiamento de custeio, investimento, poderão estar fazendo uma prorrogação junto com a instituição financeira para pagar essas dividas nos próximos anos”, encerrou.

Assessoria de Comunicação da Prefeitura

Hits: 31

Redação Ms de Fato

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Enviar Mensagem
Posso ajudar?
Olá
Tudo Bem?