Polícia

Encontrado morto em presídio após estupro coletivo de sobrinha estava isolado em cela, diz Agepen

Elinho Arevalo, preso após participar do estupro coletivo de sua sobrinha de 11 anos, em Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, e que foi encontrado morto em uma cela da PED (Penitenciária Estadual Dourados), estava isolado segundo a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário).

Em nota, a Agepen informou que Elinho estava isolado, por questões de segurança, em uma cela da penitenciária. Ele estava preso desde a quarta-feira (11), pelos crimes de estupro de vulnerável e homicídio. Após o ocorrido, a perícia da Polícia Civil foi acionada para providências cabíveis e registro de ocorrência, segundo a Agepen.

Além de Elinho também foi preso Leandro Pinosa, de 20 anos, e três adolescentes foram apreendidos pelo crime, que aconteceu no último domingo (8). Raíssa da Silva Cabreira, de 11 anos, foi jogada de um paredão de 20 metros, em uma pedreira.

Segundo o delegado que atendeu o caso, Erasmo Cubas, o tio já abusava da menina desde os 5 anos dela, e no dia do crime flagrou o momento em que os quatro acusados do crime estupravam a menina. Ele acabou participando da sessão de estupro contra a sobrinha que havia sido arrastada para o local pelos autores, que planejaram o crime de estupro.

Ainda de acordo com o delegado, os acusados embebedaram a criança para continuar a cometer os abusos. Quando ela recobrou a consciência e tentou se desvencilhar dos autores, foi arrastada para a beirada da pedreira, quebrando os braços em uma tentativa de se defender, mas acabou jogada viva de uma altura de 20 metros.

Quando preso e questionado sobre o crime, o tio disse que estava bêbado. O laudo do exame feito na vítima constatou o estupro. Ela tinha lacerações nos órgãos genitais. Ao todo, sete pessoas foram levadas para a delegacia para serem ouvidas, na segunda-feira (9).

midiamax

Hits: 157