Cidades

“Mesmo quem tem plano de saúde, não conseguirá atendimento”, diz secretário sobre falta de leitos

Batendo recorde todos os dias, Mato Grosso do Sul tem 968 internados nesta sexta-feira (19).

Mais uma vez, Mato Grosso do Sul bate novo recorde: já são 968 pessoas internadas, sendo 553 em leitos clínicos (363 público; 190 privado) e 415 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) (312 público; 103 privado).

A ocupação global de leitos de UTI do Sistema Único de Saúde (SUS) na macrorregião de Campo Grande está em 105%; Dourados 98%; Três Lagoas 94% e Corumbá 100%.

As informações são do Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES) desta sexta-feira (19).

Leitos estão sendo improvisados e doentes estão em locais inadequados, informou o o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende. “Pessoas estão em prontos socorros, ala vermelha, ala azul e centros cirúrgicos já que não estão fazendo cirurgias eletivas. Isso nos preocupa”, disse.

Resende afirma que as vagas de leitos que surgem são de óbitos que ocorrem. “Mesmo para quem tem o melhor plano de saúde, não vai ter acesso nem à leitos de UTI e nem clínicos. O melhor plano de saúde é ficar em casa”.

“Não há mais leitos. Nem se você tiver condição financeira de ir para outro Estado”, complementa a secretária adjunta de Saúde, Christinne Maymone.

Nesta quinta-feira (18), 129 pessoas aguardavam por uma vaga em hospitais em Mato Grosso do Sul. A maioria dos cidadãos na lista de espera é da Capital.

Hospitais particulares de Campo Grande se manifestam que “alcançaram o limite”. Cassems, Unimed, do Coração (Clínica Campo Grande), Proncor, Pênfigo e El Kadri fizeram um pronunciamento conjunto nesta segunda-feira (15).

Em carta, informam que as unidades hospitalares enfrentam dificuldades para regulação de leitos de UTI e semi-intensiva; contratação de profissionais de saúde e aquisição de equipamentos e medicamentos. Além disso, não possuem mais capacidade de ampliar seu espaço físico.

O objetivo do documento assinado pelas instituições é de conscientizar sul-mato-grossenses a respeito da gravidade da situação no Estado, principalmente na Capital.

Novos leitos

Leitos readaptados, ou seja, leitos normais transformados em leitos de UTI para tratamento da Covid-19, são ativados em hospitais diversos para desafogar demanda.

Na Unidade do Trauma, localizada em Campo Grande, foram transformados 120 leitos, sendo 90 clínicos e 30 de UTI.

No Hospital São Julião, foram ativados 15 leitos de retaguarda. São disponibilizados 12 leitos de UTI exclusivos para pacientes SUS na Clínica Campo Grande, sete semicríticos no Hospital de Câncer, dez leitos de UTI no Hospital do Pênfigo e dez leitos no Hospital EL Kadri.

Resende anuncia que dez leitos de unidades coronarianas no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS) foram transformados em leitos de COVID, e todos já estão ocupados.

Ainda segundo o secretário, foram ativados mais dez leitos em Ponta Porã e outros dez em Três Lagoas, todos já preenchidos. Além disso, dez leitos serão montados no hospital da Cassems em Corumbá.

Panorama da Covid-19 em 19 de março de 2021

O Estado já contabiliza 200.017 casos do novo coronavírus nesta sexta-feira (19), desde o início da pandemia. Já são 3.775 mortes. São 36 novos óbitos e 1.222 casos nas últimas 24 horas. Apenas na capital 21 pessoas morreram de ontem para hoje, um recorde.

Em isolamento domiciliar encontram-se 11.101 doentes. Recuperados somam em 184.173. A média móvel de casos é de 1.083,9 e a de mortes 30,3. A taxa de contágio está em 1,02 e a de óbitos 1,9.

De ontem para hoje, Campo Grande registrou 330 novos casos; Três Lagoas 152; Dourados 110; Paranaíba 60; Corumbá 53; Naviraí 52; Sidrolândia 39; Ponta Porã 31; Maracaju 26; entre outros municípios.

Campo Grande, Naviraí, Dourados, Camapuã, São Gabriel do Oeste, Três Lagoas, Sonora, Sidrolândia, Ponta Porã e Naviraí são as cidades do Estado que apresentaram mortes nas últimas 24 horas.

Fonte: correiodoestado.com.br

Hits: 13

Eidson Brito

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar Mensagem
Posso ajudar?
Olá
Tudo Bem?